Outubro 21, 2021

Logar no site

Nome *
Senha *
Lembrar

Após viajar para Venezuela, moradora de São Vicente não consegue retornar ao Brasil

Setembro 25, 2020 280 0

PANDEMIA - Uma moradora de São Vicente que viajou para Venezuela, no início do ano, está impedida de retornar ao Brasil, em virtude da pandemia do coronavírus. Sabah Kassen Azanki, de 56 anos, relata que a viagem teria duração de dois meses, mas com as fronteiras e aeroportos fechados no país, desde o início do ano, mesmo com a passagem de volta comprada, continua sem saber quando poderá voltar para casa. Ela já está há oito meses no país.

Em entrevista ao Santa Portal, a vicentina relatou que a viagem para a Venezuela ocorreu em janeiro. Na ocasião ela acompanhava a filha, que mora no país, e o neto que havia nascido no Brasil, antes da viagem.

“A minha filha mora na Venezuela e teve o bebê aqui no Brasil. Então eu a acompanhei na viagem de volta. Iria ficar com ela por dois meses, para ajudar com o meu neto, mas já estou aqui há oito meses, sem saber quando poderei voltar”.

A angústia de Sabah, que tenta voltar para o Brasil desde março, é ainda maior porque era ela quem cuidava da mãe, que já é idosa.

“Eu quem fico com ela e ela depende muito de mim. É uma pessoa idosa já, que não pode ficar por muito tempo sozinha. Agora ela está sob os cuidados do meu irmão, só que ele sai para trabalhar e só volta no final da tarde. Eu fico muito preocupada porque ela já vai fazer 80 anos”.

Sabah relata que o início da pandemia já tentou por diversas vezes remarcar o voo junto à companhia aérea, mas eles são constantemente remarcados. A vicentina também recorreu ao Itamaraty, para tentar apoio do governo no retorno ao Brasil, mas não teve sucesso. “Eu entrei em contato no WhatsApp que eles fizeram e eu perguntava sempre se eles iam repatriar os brasileiros ou se ia ter um voo humanitário ou alguma coisa assim, mas eles nunca tinham uma resposta”.

Sem saber a quem mais recorrer, Sabah procurou um advogado, que lhe orientou a entrar com uma ação para tentar o retorno ao Brasil, por meio da Justiça. Uma liminar foi concedida no último dia 2 de junho, mas até o momento a vicentina ainda não teve a confirmação da companhia aérea para retornar ao Brasil.

“A Copa [Airlines] tinha marcado pra mim dia 4 de setembro. Depois desmarcou sem avisar. Está muito difícil. Eu vim para ficar dois meses e já estou há oito”. 

A Reportagem procurou a companhia aérea e a Embaixada Brasileira, e aguarda um posicionamento sobre o caso. 

Caso semelhante no Peru

No final de agosto, um casal de santistas que enfrentava o mesmo drama de Sabah conseguiu voltar para casa após meses de espera. A professora Rhanna Martins Franco, de 22 anos, estava em um intercâmbio no Peru, que tinha previsão de término para julho. No entanto, em março, o país fechou as fronteiras por tempo indeterminado e a jovem, que chegou a solicitar o retorno antecipado à Embaixada Brasileira, acabou sendo impedida de voltar para casa.

O namorado dela, que havia viajado ao Peru para visitá, também ficou preso no país. No último dia 26 de agosto, eles conseguiram um voo de Lima para São Paulo.  

 

Fonte: Santaportal

Classifique esta materia
(0 votes)
Conexão 013

Se você apareceu nesta matéria e quer o direito d resposta entre em contato no email contato@conexao013.com.br

conexao013.com.br/
© 2020 Conexão 013

Nothing found!